Minhas Lembranças do Clube de Xadrez São Paulo

 

Quando nos detemos nas fotos que ilustram a história do Clube, percebemos como os jogadores, de 1902 até final dos anos cinquenta, e mesmo posteriormente, vestiam-se com terno e gravata. Se essa era  está longínqua e parece algo perdida no tempo, conservamos, daquele período,  a gentileza e as regras de boa conduta no xadrez. Estas continuam indispensáveis, sabemos, para o enxadrista digno desse nome, seja um praticante eventual do jogo, seja um grande mestre internacional.  Não precisamos ir muito longe, na história do Clube, para destacar jogadores eminentes, que deixam suas marcas, e cujas histórias repercutem tanto pela técnica, como também pela inegável cortesia. Felizmente, em nosso meio, sobejam exemplos dessa qualidade. Agradecemos, então, a um deles: Everaldo Matsuura, por seu depoimento:

 

         O período que mais frequentei o Clube coincide com minha mudança para o Estado de São Paulo, ou seja, a partir de 2000. De 2000 a 2003, quando estava vivendo em Piracicaba vinha sempre jogar os torneios de xadrez rápido, mais ou menos uma vez por mês. Recordo também que cheguei a dar um curso de aberturas, dentro de um programa que incluiu vários outros mestres. Além disso, também havia a Copa Itaú, que se realizava uma vez ano (creio que participei de todas as edições desde 1997, até a última realizada em 2005).

         Quando me mudei para a Capital, em 2003, além dos torneios de xadrez rápido, participei também de alguns torneios Mini-open e Relâmpago, mas foi por um período curto.

         Em 2004, realizaram-se quatro copas Itaú e tomei parte em todas elas. Também joguei quatro zonais (1999, 2001, 2005, 2007) e vários outros torneios importantes até 2007. Após esse período quase não frequentei o Clube, pois o número de competições importantes para mim caiu drasticamente.

         A grande importância do Clube na minha formação enxadrística foi justamente a participação nesses importantíssimos torneios, que forneceram a experiência e o aprendizado necessários para o meu desenvolvimento. Um momento memorável para mim no Clube foi a minha participação em uma final de Campeonato Brasileiro, no ano de 1988. Além de ter me saído muito bem (finalizei do terceiro ao quinto) foi também a primeira vez que pus os pés no centenário e lendário Clube de Xadrez São Paulo.